A redução de custos ocultos e a governança corporativa: qual a contribuição dos comitês de auditoria no Brasil em comparação com a Lei americana Sarbanes-Oxley (SOX)?

Vidigal Fernandes Martins (vidigalfgv@gmail.com)
Doutorando em Administração- EAESP-FGV. Mestre em Engenharia da Produção UFSC
Professor da UFU – Universidade Federal de Uberlândia

Carlos Roberto Souza Carmo (carlosjj2004@hotmail.com)
Mestre em Ciências Contábeis pela PUC-SP
Professor da UFU – Universidade Federal de Uberlândia

Adeilson Barbosa Soares (adeilsonbs@hotmail.com)
Contador e Mestre em Ciências pela UFU
Professor da UFU – Universidade Federal de Uberlândia

Mônica Aparecida Ferreira (monicaapferreira@hotmail.com)
Graduada em Ciências Contábeis
Professora da UNIUBE – Universidade de Uberaba

Vinícius Silva Pereira (viniciuss56@gmail.com)
Doutorando em Administração- EAESP-FGV. Mestre em Administração
Professor da UFU – Universidade Federal de Uberlândia

A atual realidade dos mercados exige que as organizações estejam cada vez mais preparadas e adaptadas às crescentes mudanças econômicas do mundo globalizado. Nesse contexto, a qualidade da governança corporativa é de extrema importância não só para garantir uma maior perenidade à organização, como também, para garantir mais segurança aos seus acionistas. Classificado como um estudo fenomenológico de natureza teórica e exploratória, este trabalho tem como objetivo primordial comparar as principais responsabilidades e atribuições dos membros do Comitê de Auditoria em relação às exigências da legislação brasileira e da Lei Sarbanes-Oxley e, ainda analisar como a existência de controles internos eficazes podem contribuir para o gerenciamento de riscos e, consequentemente para a redução dos custos ocultos. Ao final da pesquisa foi possível perceber que a adoção de boas práticas de governança corporativa contribui não somente para o crescimento da organização, mas, também, para minimização de custos relacionados aos riscos inerentes à falta de controles e mecanismos apropriados para esta finalidade. Ver artículo completo.

Palavras-Chave: Lei SOX. Custos ocultos. Comitês de Auditoria.

La actual realidad del mercado requiere que las organizaciones estén cada vez más preparadas y adaptadas a los cambios de crecimiento económico de un mundo globalizado. En este contexto, la calidad del gobierno corporativo es de suma importancia no sólo para garantizar La continuidad a la organización, sino también para garantizar una mayor seguridad a sus accionistas. Clasificado como un estudio fenomenológico teórico y exploratório, este trabajo tiene como objetivo comparar las principales tareas y responsabilidades de los miembros clave del Comité de Auditoría en relación con los requisitos de la legislación brasileña y la Ley Sarbanes Oxley, y también analizar cómo la existencia de controles internos efectivos, puede contribuir a la gestión de riesgos y por tanto, a reducir los costes ocultos. Al final del estudio se reveló que com la adopción de buenas prácticas de gobierno corporativo no sólo se contribuye al crecimiento de la organización, sino también a una minimización de costes relacionados con los riesgos inherentes a la falta de controles y mecanismos adecuados para este propósito. Ver artículo completo.

Palabras Clave: Ley SOX. Costes ocultos. Comités de Auditoría.

Posted in Contabilidad y Auditoría, Nº10 – Mayo de 2013

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Categorías